A organizaçâo contabilística no sector conserveiro entre o final do século XIX e a primeira metade do século XX: o caso Júdice Fialho = The accounting model in the Portuguese canned-fish industry between the end of the 19th century and the first...

Ana Rita Faria

Resumen


Este estudio tiene como objetivo analizar la organización contable de Júdice Fialho, una de las mayores empresas de la industria de conservas de pescado de Portugal, entre finales del sigo XIX y la primera mitad del siglo XX. También pretende confrontar la organización contable existente en la empresa con los modelos divulgados en la literatura contable portuguesa publicada en el mismo período.
La justificación para su realización reside en la escasez de estudios basados en el análisis de registros contables originales y en la disponibilidad, en el Archivo Histórico del Museo Municipal de Portimâo (Algarve), de documentación contable relativa a esta gran empresa.
El estudio concluye que, en ausencia de un conjunto de reglas y principios contables comunes a todas las empresas, Júdice Fialho procuró adoptar, considerando la diversidad de soluciones contables divulgadas en la literatura de la especialidad, la más adecuada a sus características y necesidades reales. La contabilidad de la empresa está organizada para proporcionar información sobre los resultados particulares de cada segmento de la organización (fábrica, sección, oficina, depósito) y no sobre las ganancias o las pérdidas de la venta de diversos productos. El estudio también concluye que, durante el período analizado, la contabilidad de la empresa no sufrió alteraciones significativas. La constitución de una sociedad general en 1938, cuatro años después de la muerte de su fundador, podría haber sido un factor de cambio, pero tal cosa no sucedió.


This study examines the accounting records of one of the most important companies in Portuguese canned-fish industry –Júdice Fialho– during the period between the ends of the 19th century to the first half of the 20th century.
It aims at comparing the company’s accounting system with the standards and models shown in the Portuguese accounting literature published at the time.
The shortage of articles on the evolution of accounting practices in Portugal, namely studies based on the analysis of surviving business records of firms, justifies this study.
The study concludes that, in the absence of a set of accounting principles and procedures available to all enterprises, the management of Júdice Fialho sought to adopt, from within the varied material available at the time, those accounting techniques which were most relevant to their business operations and actual needs at that time. During the period under examination, the company’s accounting records did not suffer significant changes. The formation as a partnership in 1938, four years after the death of its founder, could have acted has a stimulus for change, but that didn’t happen.


Este estudo tem por objectivo analisar a organização contabilística de uma das maiores empresas da indústria de conservas de peixe portuguesa, a Júdice Fialho, entre o final do século XIX e a primeira metade do século XX. Pretende ainda confrontar a organização contabilística existente na empresa com os modelos divulgados na literatura contabilística portuguesa publicada no mesmo período.
A justificação para a sua realização residiu na escassez de estudos baseados na análise de registos contabilísticos originais e na disponibilidade, no Arquivo Histórico do Museu Municipal de Portimão (Algarve), de documentação contabilística relativa a esta grande empresa.
O estudo conclui que, na ausência de um conjunto de regras e princípios de Contabilidade comuns as todas as empresas, a Júdice Fialho procurou adoptar, considerando a diversidade de soluções contabilísticas divulgadas na literatura da especialidade, a mais adequada às suas características e necessidades reais. A contabilidade da empresa está organizada para fornecer informação sobre os resultados particulares de cada segmento organizacional (fábrica, secção, oficina, depósito, …) e não sobre os lucros ou prejuízos obtidos na venda dos diversos produtos. O estudo conclui ainda que, durante o período analisado, a contabilidade da empresa não sofreu alterações significativas. A constituição da sociedade em nome colectivo, em 1938, quatro anos após a morte do seu fundador, poderia ter constituído um factor de mudança, mas tal não aconteceu.

Palabras clave


Historia de la Contabilidad; Industria de conservas de pescado; Júdice Fialho; Modelo contable; Portugal; Accounting history; Canned-fish industry; Accounting model; História da Contabilidade; Indústria de Conservas de Peixe

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Arquivo Júdice Fialho, Centro de Documentação e Informação, Museu Municipal de Portimão, caixas 278/9 e 404-534.

Barbosa, A. (1941). Sobre a indústria de conservas em Portugal. Lisboa.

Caetano Dias, F. (1936). A técnica da leitura de balanços. Lisboa.

Caetano Dias, F. (1938). Contabilidade industrial e agrícola, 1º e 2º vols. Lisboa: Liv. A Peninsular.

Caetano Dias, F. (1947). Comércio e contabilidade, 5ª ed., 2º vol. Lisboa: Liv. Moraes.

Caiado, A. (2008). Contabilidade analítica e de gestão, 4ª edição. Lisboa: Áreas editora.

Carqueja, H. (2010). Arte da escritura dobrada que ditou na Aula do Comércio João Henrique de Sousa copiada para instrução de José Feliz Venâncio Coutinho no ano de 1765 – Comentário, Fac-simile e Leitura. Lisboa: Edições OTOC.

Carvalho, J.; Conde, M. e Nunes, R. (2003). “The historical evolution of portuguese management accounting literature”. Third Accounting History International Conference, Siena (Itália).

Cordeiro, J. (1989). A indústria conserveira em Matosinhos. Exposição de Arqueologia Industrial. Câmara Municipal de Matosinhos.

Dória, R. (1914). Escrituração industrial e mineira. Apontamentos, Porto: Tipografia da Escola Raul Dória.

Dória, R. (1919). Balanços. Estudos Comerciais, III série. Porto: Tipografia da Escola Raul Dória.

Dória, R. (1921). Escrituração das especialidades. Estudos Comerciais, V série. Porto: Tipografia Lusitânia.

Everard Martins, R. (1944/1997). “Ensaio de bibliografia portuguesa de contabilidade”. Revista de Contabilidade e Comércio, 54 (216), pp. 260-78.

Faria, A. (2001). “A organização contabilística numa empresa da indústria de conservas de peixe entre o final do século XIX e a primeira metade do séc. XX. O Caso Júdice Fialho”. Tese de Mestrado, Universidade do Algarve/Universidade Técnica de Lisboa, Faro.

Faria, A. (2008). “An analysis of accounting history research in Portugal: 1990-2004”. Accounting History, 13 (3), pp. 353-379.

Faria, A. e Guimarães, J. (2010). “A investigação em história da contabilidade em Portugal nas duas últimas décadas”. Terceiro Encontro de História da Contabilidade da OTOC, Lisboa e Braga, 17 e 19 de Junho.

Gomes, D. (2007). “Accounting change in central governement: The institutionalization of double entry bookkeeping at the portuguese royal treasury”. Tese de Doutoramento, Universidade do Minho.

Gomes, D. e Rodrigues, L. (2009). “Investigação em história da contabilidade”. In, Major e Vieira (Ed.), Contabilidade e controlo de gestão. Lisboa: Escolar Editora, pp. 211-239.

Guimarães, J. (2006). “Ricardo de Sá – um homem da e para a contabilidade”. Revista electrónica infocontab, 7, pp. 1-44, disponível em www.infocontab.com.pt, acedido em 30/5/2011.

Guimarães, J. (2007). “Os primeiros livros portugueses sobre contabilidade – comentários …”. Revista electrónica infocontab, 21, pp. 1-28, disponível em www.infocontab.com.pt, acedido em 3/5/2011.

Hernández Esteve, E. (2006). “Um lustro de investigación histórico-contable en España (2001-2005)”. Revista de Contabilidad, 8 (15), pp. 45-94.

Lopes Amorim, J. (1929). Lições de contabilidade geral, Vol. I. Porto: Empresa Industrial Gráfica do Porto.

Manso-Preto, F. (1907). Escrituração comercial, industrial e agrícola. Braga: Cruz e C.ª

Martins, C. (2010). “A contabilidade monástica no Século XIX: o caso do Mosteiro de Santa Maria de Belém (1833)”. Terceiro Encontro de História da Contabilidade, OTOC, Lisboa e Braga, 17 e 19 de Junho.

Mascarenhas, L. (1915). Indústrias do Algarve. Lisboa: Centro Tipográfico Colonial.

Monteiro, A. e Monteiro, A. (1955). O guarda-livros sem mestre, 11.ª ed. actualizada. Porto: Edição dos autores.

Noel Monteiro, M. (1965). A contabilidade e o seu mundo, Vol. I. Lisboa: Portugália Editoria.

Nunes, J. (1952). Júdice Fialho e a evolução histórica de Portimão. Trabalho apresentado na sessão da Casa do Algarve.

Oliveira, J. (2005). A contabilidade do Mosteiro de Arouca 1786-1825. Editora Rirsma.

Outeiro, J. (1869). Estudos sobre escrituração mercantil por partidas dobradas, 2.ª ed. rev. Porto: Tipografia Lusitana.

Pequito, R. (1875). Curso de contabilidade comercial. Lisboa: Liv. Pacheco & Carmo.

Peixoto, A. (1910). Tratado teórico e prático – Noções gerais de comércio, contabilidade e escrituração comercial, 2.ª ed. Lisboa.

Pereira, E. (1910). O manual do guarda-livros. Coimbra: Ed. França Amado.

A Realidade Júdice Fialho. O Passado e o Presente, s/d., ed. Comissão Sindical de Júdice Fialho.

Ribeiro, A.J. (2010). “Instrumentos financeiros na Beneditina Lusitana”. VI Jornada de História da Contabilidade, APOTEC/ ISCAC, Coimbra, 4 de Dezembro.

Rodrigues, L.; Gomes, D. e Craig, R. (2003). “Aula do comércio: Primeiro Estabelecimento de Ensino Técnico Profissional oficialmente criado no mundo?”. TOC, 34, pp. 46-54.

Sá, R. de (1903). Tratado de contabilidade. Lisboa: Tipografia da Editora.

Sá, R. de (1912). Escrituração comercial, teórica e prática para aprender sem Mestre. Lisboa: Livraria Ferin.

Santos, L. (1893). Tratado de contabilidade comercial. Lisboa: Empresa Literária Fluminense.

Sequeira, J. (1919). Novíssimo guia prático de escrituração mercantil ou comercial. Lisboa.

Silva, F. Gonçalves da (1960). Contabilidade industrial, 2.ª edição. Lisboa: Centro Gráfico de Famalicão.

Silva, F. Gonçalves da (1970). Curiosidades, velharias e miudezas contabilísticas. Lisboa: Edição do Autor.

Silva, F. Gonçalves da (1995). “Bosquejo duma sucinta história da contabilidade em Portugal”. Revista de Contabilidade e Comércio, LII (205), pp. 118-128.




DOI: http://dx.doi.org/10.18002/pec.v0i13.606

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2011 Ana Rita Faria

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Pecvnia
Revista de la Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales, Universidad de León

Contacto: ulepec@unileon.es
Soporte técnico: journals@unileon.es

I.S.S.N. 1699-9495 (Ed. impresa)
e-I.S.S.N 2340-4272

Editada por el Área de Publicaciones de la Universidad de León