Contributos e desafios da formação contínua de docentes para a construção da igualdade de género e cidadania = Contributions and challenges of continuous teacher training for building gender equality and citizenship

Clarinda Jesus Banha Pomar, Ângela Maria Paiva Balça, Olga Maria Santos Magalhães, Antónia Fialho Conde

Resumen


Resumo

A prevenção e eliminação dos estereótipos de género e do sexismo constitui-se como uma problemática de intervenção prioritária (EuropeanCouncil, 2018). O sistema educativo, em particular as práticas pedagógicas, desempenham um papel fundamental na construção dos princípios de cidadania e igualdade de género. É crucial que a formação contínua de docentes integre esta problemática, sensibilizando, fornecendo conhecimentos e desenvolvendo competências de intervenção eficazes. Neste artigo, pretendemos descrever a refletir sobre uma experiência de formação contínua de docentes que possibilitou o desenvolvimento de atividades e projetos de intervenção em contexto real de ensino. Começaremos por apresentar os pressupostos e a metodologia de formação e, em seguida, descreveremos e analisaremos criticamente alguns dos resultados das intervenções realizadas pelos/as docentes.

Abstract

The prevention and elimination of gender stereotypes and sexism is a problem of priority intervention (European Council, 2018). The educational system, in particular pedagogical practices, play a fundamental role in the construction of the principles of citizenship and gender equality. It is crucial that the continuing teacher training integrate this problem, raising awareness, providing knowledge and developing effective intervention skills. In this article, we intend to describe and to reflect an experience of continuous teacher training that enabled the development of activities and intervention projects in real context of teaching. We will start by presenting the assumptions and the training methodology, then we will describe and critically analyze some of the results of the interventions carried out by the teachers.


Palabras clave


Igualdade de género; cidadania; oficina de formação; estereótipos de género; prática pedagógica; formação de docentes; Gender equality; citizenship; training workshop; gender stereotypes; pedagogical practice; teacher training

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Alvarez, Teresa e Vieira, Cristina (2014): “O papel da educação no caminho que falta percorrer em Portugal na desconstrução dos estereótipos de género: breves reflexões”. Em: Exedra, pp. 8-17. Disponível em: http://www.exedrajournal.com/wp-content/uploads/2014/12/sup14-8-17.pdf [20/02/2019].

Alves, Ana Maria Mendes Ruas (2006): “«Por quantos anjos pario a Virgem»: injúrias e blasfemias na Inquisição de Évora, 1541-1707”. (Dissertação de mestrado não publicada). Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Coimbra.

Amâncio, Lígia (1994): Masculino e feminino: A construção social da diferença. Porto: Edições Afrontamento.

Azevedo, Fernando; Balça, Ângela Selfa, Moisés e Cruz, Judite Zamith (2015): “A alteridade na Literatura Infantil contemporânea publicada no espaço ibérico: algumas vozes e configurações na construção do género”. Em: Elos. Revista de Literatura Infantil e Xuvenil, nº. 2, pp. 119-130. Disponível em: http://www.usc.es/revistas/index.php/elos/article/view/2569 [18/02/2019].

Barbosa, Ana Maria (2009): “Análise das representações de género e seus valores na literatura infantojuvenil e na formação da criança”. (Tese de doutoramento não publicada). Universidade do Minho. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/10997/1/tese.pdf [19/02/2019].

Calainho, Daniela Buono (2008): “Metrópole das mandingas: religiosidade negra e Inquisição portuguesa no Antigo Regime”. (Tese de doutoramento não publicada), Universidade Federal Fluminense, Niterói.

Cardona, Maria João et al. (2010) (coord): Guião de Educação Género e Cidadania – Educação Préescolar. Lisboa: Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Cardona, Maria João et al. (2011)(coord.): Guião de Educação Género e Cidadania – 1º Ciclo. Lisboa: Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Caro Baroja, Julio (1992): Vidas mágicas e Inquisición. Madrid: Istmo.

Coelho, António Borges (1987): Inquisição de Évora: dos primórdios a 1668. (2 vols). Lisboa: Editorial Caminho.

Conselho Científico-Pedagógico de Formação Contínua (2016): “Regulamento para acreditação e creditação de ações de formação contínua”. Disponível em: http://www.ccpfc.uminho.pt/uploads/Regulamento%20de%20Modalidades%20de%20Forma%C3%A7%C3%A3o.pdf [24/02/2019]

European Council (2015):Compilation of good practices to promote an education free from gender stereotypes and identifying ways to implement the measures which are included in the Committee of Ministers’ Recommendation on gender mainstreaming in education. Ed. European Council/ Gender Equality Commision.

European Council (2018): “Gender Equality Strategy 2018-2023”. Ed. European Council. Disponível em: https://www.coe.int/en/web/genderequality/-/the-council-of-europe-adopts-its-gender-equalitystrategy-2018-2023- [23/02/2019]

Fernandes, Cláudia (2007): “A Figura feminina como protagonista de contos tradicionais portugueses”. (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Disponível em: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/70/3/msc_cdsfernandes.pdf [19/02/2019]

Franco, José Eduardo e Assunção, Paulo de (2004): As metamorfoses de um polvo: religião e política nos regimentos da Inquisição Portuguesa (séc. XVI-XIX). Lisboa: Prefácio.

Godinho, Fátima (2014): “Reconstruir o ambiente educativo para potenciar a construção de uma cidadania plena, na escola e na sociedade”. (Portefólio apresentado no âmbito da Oficina de Formação “Género, Cidadania e Educação”, não publicado). Universidade de Évora, Évora.

Henningsen, Gustav (1980): The witches, advocate: basque witchcraft and the Spanish Inquisition (1609-1614). Reno, Nevada: Universityof Nevada Press;

Lisboa, Manuel et al. (2009) (coord.): Violência e Género: Inquérito Nacional sobre a Violência exercida contra Mulheres e Homens. Lisboa: Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Lopes, Bruno (2016): Os dinheiros da Inquisição portuguesa: o exemplo dos tribunais de Évora e Lisboa (1701-1755). Em:Revista de História da Sociedade e da Cultura, n.º 16, pp. 189-215;

López Picher, Mercedes (2013): Magia y sociedad en Castilla en los siglos XVI y XVII. (Tese de doutoramentonão publicada), Universidad Complutense de Madrid, Madrid.Machado, Nélson (2014): “Género e História/Inquisição”. (Portefólio apresentado no âmbito da Oficina de Formação “Género, Cidadania eEducação”, não publicado). Universidade de Évora, Évora.

Marinovic, Anamarija (2009): “Visão dos Homens, Mulheres e Crianças nas Narrativas Curtas da Tradição Popular Portuguesa e Sérvia”. (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de Lisboa. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/419/1/20783_ulfl071225_tm.pdf [20/02/2019].

Morgado García, Arturo (1999): Demonios, magos y brujas en la España moderna. Cádiz: Servicio Publicaciones - Universidad de Cádiz.

Neto, António et al. (1999): Estereótipos de Género. Lisboa: Comissão para a Igualdade de Género e para os Direitos das Mulheres.

Nunes, Andreia (2017): “Era uma vez… Estereótipos de género nos livros infantis”. (Dissertação de mestrado não publicada). Instituto Superior de Ciências do trabalho e da Empresa. Disponível em: https://repositorio.iscte-iul.pt/bitstream/10071/15609/1/andreia_rebelo_nunes_diss_mestrado.pdf [18/02/2019].

Paiva, José Pedro (1992): Práticas e Crenças Mágicas. O medo e a necessidade dos mágicos na diocese de Coimbra 1650-1740. Coimbra: Minerva.

Paiva, José Pedro (2002): Bruxaria e superstição: num país sem «caça às bruxas» 1600-1774. Lisboa: Editorial Notícias, 2ª ed.

Pinto, Teresa (2010) (coord.): Guião de Educação Género e Cidadania – 3º Ciclo. Lisboa: Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Pires, Maria da Natividade e Balça, Ângela (2017): “Être une fille, un garçon dans la littérature de jeunesse au Portugal, dans la première moitié du XXe siècle”. Em: Christiane Connan-Pintado e Gilles Béhotéguy (eds.): Être une fille, un garcon dans la littérature pour la jeunesse (2). Europe 1850-2014. Bordeaux: PressesUniversitaires de Bordeaux, pp. 147-160.

Pomar, Clarinda (2007): Género na Educação Física: Percepções de alunas e alunos do 2º e 3º ciclo do ensino básico. (Tese de Doutoramentonão publicada). Évora: Universidade de Évora.

Pomar, Clarinda (2012) (coord.): Guião de Educação Género e Cidadania – 2º Ciclo. Lisboa: Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Rebocho, Cristina (2015): “E se…nos contos tradicionais?”. (Portefólio apresentado no âmbito da Oficina de Formação “Género, Cidadania e Educação”, não publicado). Évora: Universidade de Évora.

Reis, Elsa; Moreira, Fernanda e Medeiros, Isabel (2015): “Portefólio: Implementação do projeto “Tão diferentes, tão iguais””. (Portefólio apresentado no âmbito da Oficina de Formação “Género, Cidadania e Educação”, não publicado). Évora: Universidade de Évora.

Reis, Marcus Vinícius (2013): Várias faces da religiosidade: Portugal e América entre práticas mágico-religiosas no século XVI. Em: Revista 7 Mares, no. 3, pp. 9–21.

Rowlands, Alison (2016) (ed.): Witchcraft and masculinities in early modern Europe. New York: Palgrave Macmillan.

Santana, Francisco (1996): Bruxas e curandeiros na Lisboa joanina. Lisboa: Academia Portuguesa de História.

Silva, Isabel (2016) (coord.): Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: Ministério da Educação/ Direção Geral de Educação.

Souza, Laura de Mello e (1986): O diabo e a Terra de Santa Cruz. São Paulo: Companhia das Letras.

Urra Jaque, Natalia (2012): Mujeres, brujería e inquisición. Tribunal inquisitorial de Lima, siglo XVIII. (Tese de doutoramento não publicada), Universidad Autónoma de Madrid, Madrid.

Veiga, Marcos António Lopes (2011): “Sob a capa negra: necromancia e feitiçaria, curandeirismo e práticas mágicas de homens em Aragão (séculos XVI e XVII)”. (Tese de doutoramento não publicada), Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo.

Vieira, Cristina (2017) (coord.): Conhecimento, Género e Cidadania no Ensino Secundário. Lisboa: Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Walker, Timothy D. (2013): Médicos, medicina popular e Inquisição: a repressão das curas mágicas em Portugal durante o Iluminismo. Rio de Janeiro/Lisboa: Fiocruz/Imprensa de Ciências Sociais.




DOI: http://dx.doi.org/10.18002/cg.v0i14.5816

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 Clarinda Jesus Banha Pomar, Ângela Maria Paiva Balça, Olga Maria Santos Magalhães, Antónia Fialho Conde

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Contacto:

Departamento de Psicología, Sociología y Filosofía. Facultad de Educación. 24071 - León - España. Teléfono: 987291860 / 625570546. Email: aiblag@unileon.es cuestionesdegenero@unileon.es

 

e-I.S.S.N. 2444-0221 - Depósito Legal: LE-1039-2005.

Diseño de portada: INDOS (Images copyright ©INDOS, S. L. and its licensors. All rights reserved).

Diseño del logotipo del Seminario Interdisciplinar de Estudios de las Mujeres de la ULE: Teresa Serrano León.