Tipologias de gênero feminino no discurso eleitoral. O caso da esquerda brasileira em 2014

Alice Lima, Luciana Panke

Resumen


A partir de tipologias criadas por Panke (2015) para pesquisas relacionadas a campanhas femininas, temos o objetivo de analisar o Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral da candidata à presidência da República no Brasil, em 2014, Luciana Genro, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Por meio da interpretação do conteúdo audiovisual exibido nos programas, verificamos como as categorias “guerreira”, “mãe” e “profissional” se apresentaram no discurso eleitoral da candidata. Verificamos que a tipologia “guerreira” esteve em evidência durante 92% do tempo de exibição total dos vídeos.


Palabras clave


Comunicação eleitoral, HGPE, gênero feminino, estudos de gênero

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Almeida, Jorge (2010): “Lula, Serra e o lugar de fala da mudança em 2002”. Em: Luis Felipe Miguel e Flávia Biroli (eds.): Mídia, representação e democracia. São Paulo: Hucitec.

Almeida, Jorge (2004). “O Marketing Político-eleitoral Comunicação e Política – Conceitos e abordagens”. Em: Antônio Albim e Carlos Rubim (eds.): Comunicação & Política. São Paulo: editora Unesp.

Bauer, Martin W. y Gaskell, George (2002): Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes.

Bardin, Laurence (1995): Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bhabha, Homi K (2010): “A outra questão: o estereótipo, a discriminação e o discurso colonial”. Em: O local da cultura. Tradução de Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima, Glaucia Renata Gonçalves. 5ª reimpressão. Belo Horizonte: Ed. UFMG.

Biroli, Flávia (2010): “Mulheres e política nas notícias: Estereótipos de gênero e competência política”. Em: Revista Crítica de Ciências Sociais, nº. 90, pp. 45-69.

Carvalho, Rejane Vasconcelos Accioly de (1999): Transição democrática brasileira e padrão midiático publicitário da política. Campinas: Pontes; Fortaleza: UFCE.

Castañeda, Marina (2013): El machismo invisible regressa. México: Taurus.

Duarte, Jorge y Barros, Antonio (orgs.) (2015): Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas.

Espinal, Rosario (2014): Género y Cultura Política. Santo Domingo: Colectiva Mujer y Salud.

Fonseca Júnior, Wilson C. (2015):”Análise de conteúdo”. Em: Jorge Duarte e Antonio Barros (orgs.): Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. 1ª ed. São Paulo: Atlas, pp. 280-315.

García Beaudoux, Virginia (2015): “Estereotipos de género, comunicación política y liderazgo femenino: ¿Para qué sirve la Táctica de Reencuadre?”. Em: Más Poder Local, vol. 1, nº. 25, pp. 3-9

Habermas, Jürgen (1984): Mudança estrutural da esfera pública – investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Tradução, Flávio R. Kothe. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Krippendorff, Klaus (1990): Metodologia de análisis de contenido. Barcelona: Paidós.

Lamas, Marta (org.) (2013): El género. La construcción cultural de la diferencia sexual. México: Unam.

Lavareda, Antônio (2009): Emoções Ocultas e Estratégias Eleitorais. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva.

Lima, Alice y Greco, Karen (2015): Diversidade de gênero e marketing eleitoral: análise das propostas de governo da candidata à presidência Luciana Genro para mulheres e LGBTs 2015. Em: 7º Encontro de Pesquisa em Comunicação (Enpecom), Curitiba, Brasil.

Lippmann, Walter (1922): Public Opinion. New York, Free Press, 1997.

Lipovetsky, Gilles (2012): La tercera mujer. México: Edamsa Impresiones.

Martins Ferreira, Dina Maria y Valente, Dulce (2015): “Estereótipo na construção da identidade feminina – Dilma Rousseff em seu primeiro mandato”. Em: Ação Midiática, vol. 1, nº. 10, pp. 291-308.

Matos, Heloiza (2010): “Intenção de voto e propaganda política: efeitos e gramáticas da propaganda eleitoral”. Em: Luis Felipe Miguel y Flávia Biroli (organizadores): Mídia, representação e democracia. São Paulo: Hucitec.

Miguel, Luis Felipe y Biroli, Flávia (2014): Feminismo e Política: uma introdução. São Paulo: Boitempo.

Miguel, Luis Felipe y Biroli, Flávia (2011): Caleidoscópio Convexo: mulheres, política e mídia. São Paulo: Editora Unesp.

Morin, Edgar (1981): Cultura de massas no século XX: o espírito do tempo. 5ª ed. Rio de Janeiro: Forense- Universitária.

Panke, Luciana (2015): Campañas electorales para mujeres – retos y tendencias. Cidade do México: Editorial Piso 15.

Panke, Luciana; Iasulaitis, Sylvia y Nebot, Carmen (2015): “Género y Campañas Electorales en América Latina: un análisis del discurso femenino en la propaganda televisiva”. Em: Razón y Palabra, nº. 91, [on line] Disponível em: http://www.razonypalabra.org.mx/N/N91/Varia/08_PankeIasulaitisPineda_V91.pdf [22/01/2016].

Targino, Maria das Graças (2000): “Comunicação científica: uma revisão de seus elementos básicos”. Em: Revista Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, vol. 10, nº. 2, pp. 37-85.

Todaro, Rosalba (2002): “Mujeres ejecutivas em Chile: uma empresa difícil”. Em: Gina Zabludovsky (organizadora): Mujeres em cargos de dirección em América Latina. Estudios sobre Argentina, Chile, México y Venezuela. México: Unam, pp. 69-91




DOI: http://dx.doi.org/10.18002/cg.v0i11.3641

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2016 Alice Lima, Luciana Panke

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Contacto:

Departamento de Psicología, Sociología y Filosofía. Facultad de Educación. 24071 - León - España. Teléfono: 987291860 / 625570546. Email: aiblag@unileon.es cuestionesdegenero@unileon.es

 

e-I.S.S.N. 2444-0221 - Depósito Legal: LE-1039-2005.

Diseño de portada: INDOS (Images copyright ©INDOS, S. L. and its licensors. All rights reserved).

Diseño del logotipo del Seminario Interdisciplinar de Estudios de las Mujeres de la ULE: Teresa Serrano León.