Intersetorialidade na Atenção as Mulheres em Situação de Violência: Uma Metassíntese = Intersectoriality in Attention to Women in Situation of Violence: A Metassynthesis

Carla Hentzschler Penafort, Terezinha Mafioletti, Aida Maris Peres

Resumen


Resumo

A violência contra a mulher é um problema mundial que afeta sua saúde bem como seus direitos humanos, e seu enfrentamento exige atuação articulada e intersetorial entre as instituições envolvidas. O objetivo é analisar produções científicas sobre as redes de atenção à violência contra a mulher a partir do Pacto Nacional Pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher publicado no Brasil em 2007. A metodologia utilizada foi a metassíntese, e de 1.091 publicações foram analisados 24 artigos originais, os quais permitiram a organização de quatro categorias temáticas. Conclui-se que o enfrentamento da violência doméstica não pode se limitar a ações isoladas devido à sua complexidade, reforçando a necessidade de um maior conhecimento para o trabalho intersetorial e funcionamento da rede.

Abstract

Violence against women is a global problem that affects their health as well as their human rights, and their confrontation requires an articulated and intersectoral action among the institutions involved. The objective is to analyze scientific production on the networks of attention to violence against women from the National Pact for the Fight Against Violence against Women published in Brazil in 2007. The methodology used was the metasynthesis, and of 1,091 publications were analyzed 24 original articles, which allowed the organization of four thematic categories. It is concluded that the confrontation of domestic violence can’t be limited to isolated actions due to their complexity, reinforcing the need for a greater knowledge for the intersectorial work and operation of the network.


Palabras clave


Violência contra a mulher; ação intersetorial; redes de apoio social; Violence against women; intersectoral collaboration; social support

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Aguirre, Pamela D. et al. (2010): “Estresse pós-traumático em mulheres vítimas de violencia doméstica”. Em: Revista chilena de neuropsiquiatria, vol. 48, nº. 2, pp. 114-122.

Alemán, Maria et al. (2010): “Detección de violencia basada en género. Análisis de situación del sistema de atencion primaria de salud en ciudad de Buenos Aires”. Em: Rev Argent Salud Pública, vol.1, nº. 5, pp. 22-27.

Brasil (2011): “Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres". Brasília: Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Presidência da República. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/institucional/omv/entenda-a-violencia/pdfs/politica-nacional-deenfrentamento-a-violencia-contra-as-mulheres [16/04/2015].

Brasil (2011): “Rede de Enfrentamento à Violência contra à Mulher”. Brasília: Secretaria de Políticas para as Mulheres. Presidência da República. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/institucional/omv/entenda-a-violencia/pdfs/rede-de-enfrentamento-aviolencia-contra-as-mulheres [16/04/2015].

Bryant-Davis, Thema; Ullman, Sarah E.; Tsong, Yuying y Gobin, Robyn (2011): “Surviving the storm: the role of social support and religious coping in sexual assault recovery of African American women”. Em: Violence Against Women, vol. 17, nº. 12, pp. 1601–1618. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3844285/ [16/05/2015]

Campanón, Cristina Bravo (2008): “Menores víctimas de violencia de género: experiencia de intervención en un centro de acogida para familias víctimas de violencia de género”. Em: Intervenção Psicossocial, vol. 17, nº. 3, pp. 337-351.

D‟Oliveira, Ana Flávia Pires Lucas e Schraiber, Lilia Blima (2013): “Mulheres em situação de violência: entre rotas críticas e redes intersetoriais de atenção”. Em: Rev Med (São Paulo), vol. 92, nº. 2, pp. 134-40.

Duarte, Maiara Cardoso; Fonseca, Rosa Maria Godoy Serpa; Souza, Vânia e Pena, Érica Dumont (2015): “Gender and violence against women in nursing literature: a review”. Em: Rev. Bras. Enferm., vol. 68, nº. 2, pp. 325-332. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672015000200325&lng=en [17/04/2015].

Dutra, Maria de Lourdes; Prates, Paula Licursi; Nakamura, Eunice; Villela, Wilza Vieira (2013): “A configuração da rede social de mulheres em situação de violência doméstica”. Em: Ciência & Saúde Coletiva, vol. 18, nº. 5, pp. 1293-1304. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000500014 [15/04/2015].

García-Moreno, Claudia et al. (2014): “The health-systems response to violence against women” Em: Lancet, vol. 385, pp. 1567-79. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(14)61837-7 [16/04/2015].

Gomes, Nadirlene Pereira; Diniz, Normélia Maria Freire; Filho, Cláudio Claudino da Silva e Santos, Jéssyca Nathielly Barbosa (2009): “Enfrentamento da violência doméstica contra a mulher a partir da interdisciplinaridade e intersetorialidade”. Em: Rev. Enferm. UERJ, vol. 17, nº. 1, pp. 14-7.

Gomes, Nadirlene Pereira et al. (2013): “Encaminhamentos à mulher em situação de violencia conjugal” Em: O Mundo da Saúde, vol. 37, nº. 4, pp. 377-384.

Gomes, Nadirlene Pereira; Diniz, Normélia Maria Freire; Reis, Luana Araújo dos e Erdmann, Alacoque Lorenzini (2015): “The social network for confronting conjugal violence: representations of women who experience this health issue” Em: Texto Contexto - Enferm. vol. 24, nº. 2, pp. 316-24. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072015000200316&lng=en [17/04/2015].

Jakobsson, Annika et al. (2012): “Possibilities and hindrances for prevention of intimate partner violence: perceptions among professionals and decision makers in a Swedish medium-sized town”. Em: International journal of behavioral medicine, vol. 20, nº. 3, pp. 337–343. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22622818 [20/04/2015].

Kiss, Ligia Bittencourt; Schraiber, Lilia Blima e D'Oliveira, Ana Flávia Pires Lucas (2007): “Possibilidades de uma rede intersetorial de atendimento a mulheres em situação de violência”. Em: Interface - Comunic, Saúde, Educ. vol. 11, nº. 23, pp. 485-501.

Krenkel, Scheila; More, Carmen Leontina Ojeda Ocampo e Motta, Cibele Cunha Lima da (2015): “The Significant Social Networks of Women Who Have Resided in Shelters”. Em: Paidéia. vol. 25, nº. 60, pp: 125-133. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-43272560201515 [16/04/2015].

Lavoratti, Cleide (2013): “Tecendo a Rede de Proteção: Desafios do Enfrentamento Intersetorial à Violência Intrafamiliar contra Crianças e Adolescentes no Município de Curitiba/PR”. Tese [Doutorado em Sociologia] - Universidade Federal do Paraná; Disponível em: http://www.humanas.ufpr.br/portal/pgsocio/files/2013/09/TESE-CLEIDE-LAVORATTI-2013.pdf [15/04/2015].

Loría, Kattia Rojas et al. (2014): “Trends in public health policies addressing violence against women”. Em: Revista de saude publica, vol. 48, nº. 4, pp. 613–621.

Matheus, Maria Clara Cassuli (2009): “Metassíntese qualitativa: desenvolvimento e contribuições para a prática baseada em evidências”. Em: Acta Paul Enferm, vol. 22, pp: 543-5. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v22nspe1/19.pdf [25/03/2015].

Medeiros, Patricia Flores de e Guareschi, Neuza Maria de Fátima (2009): “Políticas públicas de saúde da mulher: a integralidade em questão”. Em: Revista Estudos Feministas, vol. 17, nº. 1, pp: 31. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2009000100003/10982 [20/04/2015].

Meneghel, Stela Nazareth et al. (2011): “Rotas críticas de mulheres em situação de violência: depoimentos de mulheres e operadores em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil”. Em: Cad Saúde Pública. vol. 27, nº. 4, pp: 743-752. Disponível em: http://www.ufrgs.br/rotascriticas/artigos/Rotas%20Cr%C3%ADticas%20Stela.pdf [16/04/2015].

Minayo, Maria Cecília de Souza (2009): “Conceitos, teorias e tipologias de violência: a violência faz mal à saúde”. Em: Impactos da Violência na Saúde. Fundação Osvaldo Cruz, pp. 21-42.

Moraes, Aparecida Fonseca; Ribeiro, Letícia (2012): “As políticas de combate à violência contra a mulher no Brasil e a “responsabilização” dos “homens autores de violência”. Em: Sexualidad, Salud y Sociedad, vol. 11, pp: 37-58. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-64872012000500003&lng=pt&tlng=pt [19/04/2015].

Neto, Jorge Andalaft (in memoriam); Faúndes, Aníbal; Osis, Maria José Duarte e Pádua, Karla Simônia de (2012): “Perfil do atendimento à violência sexual no Brasil”. Em: Femina, vol. 40, nº. 6, pp: 301-306.

Organização dos Estados Americanos (1994): [Convenção Interamericana para prevenir, punir e erradicar a violência contra a mulher], 09/06/1994. Available from: http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/bibliotecavirtual/instrumentos/belem.htm [20/03/2015].

Paixão, Ana Cristina Wanderley da e Deslandes, Suely Ferreira. (2010): “Análise das políticas públicas de enfrentamento da violência sexual infanto-juvenil” Em: Saúde e Sociedade, vol. 19, nº 1, pp. 114-126. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010412902010000100009&lng=pt&tlng=pt [20/04/2015].

Plazaola-Castaño, Juncal; Ruiz-Pérez, Isabel e Montero-Piñar, María Isabel (2008): “Apoyo social como factor protector frente a la violencia contra la mujer en la pareja”. Em: Gac Sanit., vol. 22, nº. 6, pp. 527-33. Disponível em: http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S021391112008000600005&lng=es< [16/04/2015].

Sagot, Montserrat (2000): “La ruta crítica de las mujeres afectadas por la violencia intrafamiliar en América Latina: estudios de caso de diez países. Organización Panamericana de la Salud, Programa mujer, salud y desarrollo”. Disponível em: http://repositorio.ciem.ucr.ac.cr/jspui/bitstream/123456789/160/1/RCIEM141.pdf [16/04/2015].

Sandelowski, Margarete; Trimble, Frank; Woodard, Elisabeth K. e Barroso, Julie (2006): “From synthesis to script: Transforming qualitative research findings for use in practice”. Em: Qual Health Res., vol. 16, nº. 10, pp. 1350-70. Available from: https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1049732306294274 [17/04/2015].

Santos, Cecília MacDowell (2015): “Curto-circuito, falta de linha ou na linha? Redes de enfrentamento à violência contra mulheres em São Paulo”. Em: Revista Estudos Feministas, vol. 23, nº. 2, pp. 577-600. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/38878 [10/06/2015].

Santos, Cecília MacDowell e Izumino, Wânia Pasinato (2014): “Violência contra as Mulheres e Violência de Gênero: Notas sobre Estudos Feministas no Brasil”. Em: Rev E.I.A.L. (Estudios Interdisciplinarios de América Latina y El Caribe), vol. 16, nº. 1, pp. 147-164. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/fd4e/772fe229a00621678aec7df6655ac9bbc1cf.pdf [16/04/2015].

Santos, Manoel Antônio dos e Vieira, Elisabeth Meloni (2011): “Recursos sociais para apoio às mulheres em situação de violência em Ribeirão Preto, SP, na perspectiva de informantes-chave”. Em: Interface - Comunicação, Saúde, Educação, vol. 15, nº. 36, pp. 93-108.

Schraiber, Lilia Blima; Barros, Cláudia Renata dos Santos e Castilho, Euclides Ayres de (2010): “Violência contra as mulheres por parceiros íntimos: usos de serviços de saúde”. Em: Rev. Bras. Epidemiol., vol. 13, nº. 2, pp. 237-45. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2010000200006&lng=en [16/04/2015].

Silva, Ethel Bastos da; Padoin, Stela Maris de Mello e Vianna, Lucila Amaral Carneiro (2015): “Mulher em situação de violência: limites da assistência”. Em: Ciência & Saúde Coletiva, vol. 20, nº. 1, pp. 249-258.

Souza, Jackeline Abílio de et al. (2012): “Modelo baseado em regras como suporte à atuação da delegacia especializada de atendimento à mulher no encaminhamento de mulheres em situação de violência doméstica”. Em: Rev Bras Ci Saúde, vol. 16, nº. 1, pp. 71-78.

Sullivan, Tami P.; Schroeder, Jennifer A.; Dudley, Desreen N. e Dixon, Julia M. (2010): “Do differing types of victimization and coping strategies influence the type of social reactions experienced by current victims of intimate partner violence?”. Em: Violence against women, vol. 16, nº. 6, pp. 638–657.

Vieira, Letícia Becker; Souza, Ivis Emília de Oliveira; Tocantins, Florence Romijn e Pina-Roche, Florentina (2015): “Support to women who denounce experiences of violence based on her social network”. Em: Rev. Latino-Am. Enfermagem, vol. 23, nº. 5, pp. 865-873. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010411692015000500865&lng=en [1/704/2015].

Villela, Wilza Vieira et al. (2011). “Ambiguidades e contradições no atendimento de mulheres que sofrem violência”. Em: Saúde e Sociedade, vol. 20, nº. 1, pp. 113-123. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010412902011000100014&lng=pt&tlng=pt [16/04/2019].

Zoboli, Elma Lourdes Campos Pavone e Schveitzer, Mariana Cabral (2013): “Nursing values as social practice: a qualitative meta-synthesis”. Em: Rev. Latino- Am. Enfermagem, vol. 21, nº. 3, pp. 695-703. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010411692013000300695&lng=en&tlng=en [16/04/2015].




DOI: http://dx.doi.org/10.18002/cg.v0i14.5780

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 Carla Hentzschler Penafort, Terezinha Mafioletti, Aida Maris Peres

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Contacto:

Departamento de Psicología, Sociología y Filosofía. Facultad de Educación. 24071 - León - España. Teléfono: 987291860 / 625570546. Email: aiblag@unileon.es cuestionesdegenero@unileon.es

 

e-I.S.S.N. 2444-0221 - Depósito Legal: LE-1039-2005.

Diseño de portada: INDOS (Images copyright ©INDOS, S. L. and its licensors. All rights reserved).

Diseño del logotipo del Seminario Interdisciplinar de Estudios de las Mujeres de la ULE: Teresa Serrano León.